001 SMA20130812144110
010   ^a978-989-626-482-6
021   ^aPT^b359632/13
100   ^a20130812d2013    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aD. Teresa de Távora^fSara Rodi^ea amante do rei
210   ^aLisboa^cBertrand^d2013
215   ^a287 p. ;^d24 cm
330   ^aQuando Lisboa tremeu por debaixo dos seus ps, D. Teresa de Tvora recordou cada uma das palavras premonitrias que o padre Malagrida lhe escrevera. Cada grito desesperado que ouvia nas ruas destrudas da cidade eram a prova de que era ela a causadora de toda aquela desgraa. Os seus atos pecaminosos. A sua beleza, a sua sensualidade, o adultrio vergonhoso que envolvia a sua relao amorosa com o rei de Portugal Depois do sucesso de D. Estefnia, Um trgico amor, Sara Rodi regressa  escrita para nos contar a extraordinria histria de D. Teresa de Tvora a amante do rei D. Jos I. Narrado na primeira pessoa e baseado numa minuciosa pesquisa, somos levados a conhecer a vida desta mulher que viveu no sculo XVIII. Um sculo marcado pelo trgico terramoto de Lisboa, a ascenso ao poder de Sebastio Jos de Carvalho e Melo, o Marqus de Pombal, e o sangrento processo dos Tvora. Nesse fatdico dia de 13 de janeiro de 1759, D. Teresa viu morrer no cadafalso o seu marido Lus Bernardo, o irmo, o sogro, a sogra D. Leonor, cunhados e sobrinhos. Perdeu o nome Tvora, arrancado da toponmia e dos brases, manchado pela vergonha para todo o sempre, e perdeu a liberdade por que tanto havia lutado. D. Teresa de Tvora no foi casta. No praticou grandes obras. No foi uma esposa fiel. Foi apenas mulher. E esta  a sua histria. Fonte: Wook
532 12^aDona Teresa de Távora
606   ^aLiteratura Portuguesa^xRomance
675   ^a821.134.3-31
700  1^aRodi,^bSara,^f1978-^3AU11117
859   ^uhttp://www.bibliotecasobral.com.pt/BiblioNET/Upload/images/imagem84612.jpg
920 n
921 a
922 m
923  
924  
925  
931 20130812
932 d
933 2013
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba