010   ^a978-972-25-3492-5
021   ^aPT^b443358/18
100   ^a20181203d2018    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aCinco meninos, cinco ratos^emitologias^fGonçalo M. Tavares
210   ^aLisboa^cBertrand^d2018
215   ^a218 p. ;^d24 cm
330   ^aNo meio da floresta, cinco meninos perdidos. Ou quatro. Porque a mais pequena das irmãs se perdeu dos que já estavam perdidos. Os meninos encontram um homem de mau olhado, mas ele é bom. Também se cruzam com a Velocidade, que é um elemento perigoso que faz dos homens, loucos . Há um Comboio que não gosta de humanos e um homem que não consegue deixar de ter a boca aberta diante do mundo. Há uma igreja minúscula onde cabe um corpo com dificuldade, mas esse corpo tem espaço para rezar. E há quem saia curado de espaços muito pequenos. Estamos numa narrativa mitológica e as máquinas e os animais há muito deixaram de ser apenas ajudantes ou amigos. Há máquinas bem famintas. Fonte: Wook
532 11^a<A >mulher sem cabeça e o homem do mau olhado
606   ^aLiteratura portuguesa
606   ^aContos
675   ^a821.134.3-34
700  1^aTavares,^bGonçalo M.,^f1970-^3AU04500
859   ^uhttp://www.bibliotecasobral.com.pt/BiblioNET/Upload/images/imagem87525.jpg
920 n
921 a
922 m
923  
924  
925  
931 20181203
932 d
933 2018
935 km 
936 y
937 0
938 ba