010   ^a978-989-660-577-3
021   ^aPT^b450 195/18
100   ^a20190401d2019    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aTorto arado^fItamar Vieira Junior
205   ^a1ª ed
210   ^aAlfragide^cLeya^d2019
215   ^a279 p. ;^d24 cm
300   ^aPrémio Leya 2018
330   ^aBibiana e Belonísia são filhas de trabalhadores de uma fazenda no Sertão da Bahia, descendentes de escravos para quem a abolição nunca passou de uma data marcada no calendário. Intrigadas com uma mala misteriosa sob a cama da avó, pagam o atrevimento de lhe pôr a mão com um acidente que mudará para sempre as suas vidas, tornando-as tão dependentes que uma será até a voz da outra. Porém, com o avançar dos anos, a proximidade vai desfazer-se com a perspectiva que cada uma tem sobre o que as rodeia: enquanto Belonísia parece satisfeita com o trabalho na fazenda e os encantos do pai, Zeca Chapéu Grande, entre velas, incensos e ladainhas, Bibiana percebe desde cedo a injustiça da servidão que há três décadas é imposta à família e decide lutar pelo direito à terra e a emancipação dos trabalhadores. Para isso, porém, é obrigada a partir, separando-se da irmã. Numa trama tecida de segredos antigos que têm quase sempre mulheres por protagonistas, e à sombra de desigualdades que se estendem até hoje no Brasil, Torto Arado é um romance polifónico belo e comovente que conta uma história de vida e morte, combate e redenção, de personagens que atravessaram o tempo sem nunca conseguirem sair do anonimato. Fonte: Wook
606   ^aLiteratura brasileira
606   ^aRomance
675   ^a821.134.3(81)-31
700  1^aJunior,^bItamar Vieira
859   ^uhttp://www.bibliotecasobral.com.pt/BiblioNET/Upload/images/imagem87856.jpg
920 n
921 a
922 m
923  
924  
925  
931 20190401
932 d
933 2019
935 m  
936 y
937 0
938 ba