010   ^a978-989-724-483-4
021   ^aPT^b456200/19
100   ^a20190704d2019    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^a<A >maldição de Afonso <II=     2>^fMaria Antonieta Costa
205   ^a1ª ed
210   ^aLisboa^cClube do Autor^d2019
215   ^a387 p. ;^d24 m
330   ^aPortugal, inícios do século XIII. O neto de D. Afonso Henriques, Afonso II, é coroado rei. Ao longo de um curto e duro reinado, enfrenta uma maldição, o adultério da rainha, a traição dos irmãos e a excomunhão como corolário da luta contra os abusos do poder espiritual. Para a história ficou o seu aspecto corpulento e a conquista de Alcácer do Sal. Mas quem era este monarca e qual foi o seu legado? A Maldição de Afonso II é um romance histórico revelador sobre um rei esquecido pela História, mas cujas conquistas nos planos legislativo e administrativo ajudaram a consolidar a nação. Prisioneiro do legado dos antecessores, Afonso II emerge como um moderno arquiteto do poder político. Neto de D. Afonso Henriques e filho de D. Sancho I, Afonso II teve um reinado curto e conturbado. Depois dos reis guerreiros, a governação de Afonso II, fisicamente limitado, foi quase apagada da História. No entanto, promoveu as primeiras Leis Gerais do reino e introduziu mecanismos de centralização do poder, lutando contra os interesses da igreja e da nobreza. Cruzando factos históricos e ficção, A maldição de Afonso II dá vida à figura obscura do terceiro rei de Portugal, que reinou desde 1211 até à sua morte em 1223. Numa época em que as fronteiras de Portugal estão quase definidas, e devido às limitações impostas por uma doença maldita, Afonso II dedica-se à administração do reino. Escondendo da nação, da corte e até da rainha a sua terrível condição, o rei vai afirmando os seus dotes de legislador. Mas as intrigas políticas e religiosas sucedem-se e Afonso II acabará por morrer excomungado pelo Papa. Afinal, qual foi a importância do reinado de D. Afonso II? Que segredos permanecem por desvendar? Qual o verdadeiro carácter do rei? Partindo das principais fontes históricas, este romance projeta uma nova imagem do monarca, destacando um carácter simultaneamente sensível e feroz, o invulgar talento como legislador, trazendo ainda à superfície aquela que poderá ter sido a única e verdadeira limitação do rei: a lepra, o estigma maldito, deliberadamente oculto ao longo dos séculos. Fonte: Wook
532 12^a<A >maldição de Afonso segundo
606   ^aLiteratura Portuguesa
606   ^aRomance histórico
675   ^a821.134.3-311.6
700  1^aCosta,^bMaria Antonieta,^f1954-
859   ^uhttp://www.bibliotecasobral.com.pt/BiblioNET/Upload/images/imagem88137.jpg
920 n
921 a
922 m
923  
924  
925  
931 20190704
932 d
933 2019
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba