010   ^a978-989-668-699-4
021   ^aPT^b461101/19
100   ^a20200102d2019    k  y0porb0103    ba
101 1 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aDesoras^fJulio Cortázar^gtradução de Miguel Filipe Mochila
210   ^aAmadora^cCavalo de Ferro^d2019
215   ^a173 p. ;^d22 cm
304   ^aTítulo original: Deshoras
330   ^a«É-me difícil proceder a uma análise mental de todos os meus livros de contos anteriores. Sem nenhuma falsa modéstia, tenho a impressão de que, mesmo continuando a escrever contos, estes não são repetitivos, isto é, são um novo passo nalgum sentido, às vezes um passo em frente, outras, uma bifurcação, um lugar onde me parece ainda existirem possibilidades que eu mesmo não investiguei, que não explorei. Se assim não fosse, deixaria de ter interesse ou curiosidade neles (…) Parece-me que os oito contos deste livro, de alguma forma, são todos encontros a desoras porque há um desajuste entre a realidade e as personagens: uma não-coincidência no tempo, destinos que passam ao lado um do outro sem se encontrarem (…) um desajuste, uma falta de harmonia.» Fonte: Wook
606   ^aLiteratura argentina
606   ^aRomance
675   ^a821.134.2(82)-31
700  1^aCortázar,^bJulio,^f1914-1984^3AU00633
702  1^aMochila,^bMiguel Filipe^4730
859   ^uhttp://www.bibliotecasobral.com.pt/BiblioNET/Upload/images/imagem88438.jpg
920 n
921 a
922 m
923  
924  
925  
931 20200102
932 d
933 2019
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba