Banner
Base conjunta - Biblioteca Municipal
Registos: 1 - 2 de um total de 2
O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Uma Linha de Torres : a história de uma resistência
Autor(es): Emílio Miranda
Publicação: Lisboa : Alfarroba, 2012
Descrição física: 100 p. ; 21 cm
Notas: Contém bibliografia
Resumo: Face à iminência de uma 3.ª invasão pelas tropas de Napoleão, Wellington elaborou em 1810 um plano de defesa de Portugal assente em 3 pontos: a edificação de uma linha de fortificações a norte da península de Lisboa - as Linhas de Torres Vedras -, retirada da população da Beira e da Estremadura para a retaguarda das fortificações, e a destruição de todos os meios de subsistência e de meios de produção que pudessem permitir às tropas francesas subsistirem na região. Wellington contava para o sucesso do seu plano com o nacionalismo do povo português ao qual pediu o sacríficio de se arruinar e de arruinar o país para o salvar das garras da águia francesa. O estado de devastação em que se encontrou Portugal após a retirada dos franceses, em Março de 1811, mostra a violência intrínseca a um tal plano, sem dúvida genial se considerado do ponto de vista da arte das fortificações, mas na concepção do qual a dimensão humana não foi tida em conta. Fonte: Wook
ISBN/ISSN: ISBN 978-989-8455-33-8
Assuntos: Literatura portuguesa--Romance
CDU: 821.134.3-31
Veja também: Miranda, Emílio, 1966-
Outros recursos:
Localização: 82/P-MIR/LIN (SMA) - 20120847
82/P-MIR/LIN (PSAP) (SMA) - 20120847-A

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Linhagem de bravos : Em nome de Portugal. A luta de um povo, a construção de uma nação
Autor(es): Emílio Miranda
Edição: 1ª ed
Publicação: Barcarena : Marcador, 2016
Descrição física: 567 p. ; 24 cm
Resumo: 1289. Um rei. Um foral. Um outeiro. Simão da Cruz é um pedreiro em fuga, por um crime cometido. Trata-se de um delito de honra. Da morte de um fidalgo. A justiça segue no seu encalço. Em simultâneo, uma família - pai e três filhos órfãos de mãe - abandona, pela calada da noite, as terras do fidalgo a quem sempre serviu. A fuga impõe-se pelo desejo de uma vida melhor, mas também pelo roubo perpetrado. Sobre a carroça furtada ao nobre, um arado de ferro é a esperança de uma vida melhor, em terras de Trás-os-Montes, onde- diz-se - el-rei D. Dinis deseja fundar uma cidade. Depois de se furtarem a inúmeras dificuldades avistam finalmente a cidade que começa a ser envolvida pelas muralhas em construção. Desde sobre o outeiro o lusco-fusco quando, sob o olhar atento de uma estranha personagem - Robalo, o Tolo -, cruzam as portas, a família primeiro, Simão a seguir. Um olhar de relance entre Simão e a mais velha dos filhos de José - Maria da Conceição - marca esta chegada simultânea. Manuel Mestre de Obras, o responsável pela construção dos muros, ampara Simão da Cruz e contrata-o para engrossar o rancho dos homens que erguem as muralhas. Enquanto um fidalgo tudo tenta para impedir a implantação da cidade e um povo tudo faz pela sua edificação, há uma história que se constrói, feita de sangue e de lágrimas, de vidas que se erguem, de mortes, mistérios, fantasmas, religião, adultério e amor. Fonte: Livro
ISBN/ISSN: ISBN 978-989-754-224-4
Assuntos: Literatura portuguesa | Romance histórico
CDU: 821.134.3-311.6
Veja também: Miranda, Emílio, 1966-
Localização: 82/P-MIR/LIN (SMA) - 20160094