Banner
Base conjunta - Biblioteca Municipal
Registos: 1 - 4 de um total de 4
O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Agosto
Autor(es): Rubem Fonseca
Edição: 1ª ed
Publicação: Lisboa : Dom Quixote, 1991
Descrição física: 280 p. ; 23 cm
Colecção: (Ficção Universal ; 209)
ISBN/ISSN: ISBN 972-20-0899-4
Assuntos: Literatura brasileira | Romances históricos
CDU: 821.134.3(81)-311.6
Veja também: Fonseca, Rubem, 1925-
Localização: 82/EP-FON/AGO (SMA) - 20013225
82/EP-FON/AGO (DEP) (SMA) - 6126

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: O livro dos hereges
Autor(es): Aydano Roriz
Edição: 1ª ed
Publicação: Parede : Saída de Emergência, 2006
Descrição física: 315, [4] p. : il. ; 23 cm
Resumo: No distante ano de 1624 uma gigantesca frota, com mais de 500 canhões e 3000 homens, parte da Holanda com o objectivo de conquistar o Brasil. Financiada pela Companhia das Índias Ocidentais, pretende apoderar-se da imensa colónia portuguesa e de todas as suas riquezas. A comandar a frota segue o jovem fidalgo Van Dorth. Apaixonado por Louise, uma princesa portuguesa exilada na Holanda, Van Dorth atravessa o Atlântico para invadir o Brasil... Mas é principalmente o coração de Louise que ele pretende conquistar. O autor recria um período histórico tão fascinante quanto turbulento. E ao acompanharmos os corações de Van Dorth e da princesa Louise, vemo-nos envolvidos numa guerra que se estende da Europa à América, entre católicos, hereges, soldados, mercadores e onde nem falta a figura fascinante do padre António Vieira. Fonte: Saída de Emergência
ISBN/ISSN: ISBN 972-8839-41-3
Assuntos: Literatura brasileira | Romances históricos
CDU: 821.134.3(81)-311.6
Veja também: Roriz, Aydano, 1949-
Localização: 82/EP-ROR/LIV (SMA) - 20060499
82/EP-ROR/LIV (PSAP) (SMA) - 20060499-A

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: O livro dos hereges : a reconquista do Brasil
Autor(es): Aydano Roriz
Edição: 1ª ed
Publicação: Parede : Saída de Emergência, 2007
Descrição física: 315, [4] p. : il. ; 23 cm
Resumo: Depois da morte de D. Sebastião, Portugal não perde apenas a independência para Espanha, vê também os seus aliados transformarem-se em inimigos. A Holanda, por exemplo, estende a sua guerra contra Espanha até ao Brasil, invadindo-o com uma imensa frota de 3000 homens e mais de 500 canhões. Fonte: Livro
ISBN/ISSN: ISBN 978-972-8839-63-5
Assuntos: Literatura brasileira | Romances históricos
CDU: 821.134.3(81)-311.6
Veja também: Roriz, Aydano, 1949-
Localização: 82/EP-ROR/LIV (SMA) - 20130375

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: O cavaleiro da terra de ninguém : um desbravador português à conquista do sul do Brasil
Autor(es): Sinval Medina
Edição: 1ª ed
Publicação: Castro Verde : Narrativa, 2018
Descrição física: 670 p. ; 23 cm
Resumo: Ao combinar o registo documental com ingredientes da mais pura ficção, Sinval Medina resgata, em O Cavaleiro da Terra de Ninguém, uma figura histórica que, no Brasil, chegou a ter a própria existência posta em causa. Originário da pequena fidalguia rural, Cristóvão Pereira de Abreu, nascido em Ponte de Lima em 1678, transfere-se muito jovem para o Brasil. Integrado por laços familiares à elite económica do Rio de Janeiro, torna-se homem de grosso trato, designação atribuída aos poderosos negociantes locais. Nessa condição, envolve-se na exportação de couros na Colónia do Sacramento e no lucrativo fluxo do comércio atlântico. Na segunda década do século XVIII, inicia o transporte regular de rebanhos, sobretudo muares, dos pampas sulinos para São Paulo. Na altura, a vasta e rica Terra de Ninguém entre o Rio da Prata e a capitania de Santa Catarina é ainda objecto de disputa entre Portugal e Espanha. Em 1735, utilizando os seus próprios recursos, abre a estrada que vai integrar o Sul ao corpo físico do Brasil. Dois anos depois, no Canal do Rio Grande, lança a pedra angular da fortaleza que marcará a presença oficial da coroa portuguesa na região. Com a criação da Comandância de Armas do Rio Grande de São Pedro, Cristóvão Pereira de Abreu não se afastará mais das vastidões sulinas, a não ser para conduzir, todos os anos, milhares de animais até à Feira de Sorocaba, em São Paulo, prática que lhe renderá a alcunha de Rei dos Tropeiros. A experiência como sertanista e a capacidade de liderança, irão levá-lo ao posto de Coronel de Milícias durante as muitas guerras pela disputa do território rio grandense. Já no final da vida, será agraciado com metade das rendas da Alfândega de Curitiba, encarregada de cobrar tributos sobre as tropas em trânsito para São Paulo. Por altura da sua morte em 1750, os negócios do Cavaleiro da Terra de Ninguém estendem-se da Colônia do Sacramento a Londres, passando por São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Portugal. Fonte: Wook
ISBN/ISSN: ISBN 978-989-8909-00-8
Assuntos: Literatura brasileira | Romances históricos
CDU: 821.134.3(81)-311.6
Veja também: Medina, Sinval, 1943-
Localização: 82/EP-MED/CAV (SMA) - 20190201